quinta-feira, 26 de maio de 2016

Cinco pessoas feridas em van que capotou em Garanhuns

foto: PRF

Cinco pessoas ficaram feridas em um acidente na quarta-feira (25) no quilômetro 85 da BR-424 emGaranhuns, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a van capotou após o condutor perder o controle do veículo.

Ainda segundo a PRF, a van tem capacidade para transportar mais de cinco passageiros e o teste do bafômetro indicou que o motorista do veículo não havia ingerido bebida alcoólica. Os feridos foram encaminhados para o Hospital Regional Dom Moura e a polícia não soube informar o estado de saúde das vítimas.

MICROCEFALIA: Representantes do Ministério da Saúde participam de Forum Materno-Infantil em Garanhuns‏


Aconteceu na terça-feira, 24, no auditório da CODEAM, em Garanhuns, agreste de Pernambuco, o II Forum Materno-Infantil, realizado pela V Gerência Regional de Saúde, e com a presença de representantes dos 21 municípios da jurisdição. Este ano, o Forum deu especial atenção ao debate sobre Microceflia, e contou inclusive com representantes do Ministério da Saúde, a exemplo da Dra. Aline Lima, que ministrou palestra sobre Pré-Natal e mediou apresentações.

A Dra. Catarina Tenório, Gestora Regional de Saúde, presidiu a Mesa de Abertura dos trabalhos, que seguiu com outras apresentações, como a de Dra. Caroline Gonçalves, Neonatologista e profª do Curso de Medicina da UFPE/Caruaru. Dra. Madalena Monteiro, Pediatra da Gerência de Saúde da Criança da Secretaria Estadual de Saúde, versou sobre a Importância da Puericultura. 

Tendo o Hospital Regional Dom Moura como referência regional, três profissionais apresentaram em conjunto a Palestra: Uma Visão Multiprofissional no Atendimento aos Pacientes com Microcefalia: Dra. Tereza de Cárcia Resende, Coordenadora da Fisioterapia do Hospital, Dra. Kilma Fifelix, Psicóloga e Mestranda em Saúde Mental. A elas, juntou-se a Dra. Mônica Almeida, do Instituto Nacional de Seguridade Social - INSS - APS Garanhuns.

Diversas autoridades na área participaram do evento, a exemplo de secretários de Saúde, Ana Cláudia Mendonça (Águas Belas), Cléber Gewehr (Capoeiras), Roseli Lira (Grupo Condutor da Rede Cegonha), Izeni Pimentel (Coordenadora Regional Mãe Coruja), Dr. Aluísio Gomes (Padiatra do HRDM), dentre outros.

FORUM MATERNO-INFANTIL / MICROCEFALIA

O Fórum é um espaço colegiado estimulado pelo Ministério da Saúde e SES/PE e tem como objetivo apresentar, discutir e pactuar propostas para organizar uma rede de cuidados integral e humanizada de atenção a mulheres e aos recém­-nascidos, favorecendo o acesso às práticas de saúde que defendam e protejam a vida. 

O II Fórum tratou da temática ligada à Microcefalia, considerando que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a importância desses casos em todo o Mundo. 

NÚMEROS REGIONAIS

Desde outubro de 2015, Pernambuco teve o aumento dos casos de Microcefalia em todas as Regiões, e o esta ocorrência se deu pela transmissão vertical do Zika virus, gerando lesões cerebrais nas crianças. 

Atualmente na V Região de Saúde existem 169 casos notificados dos quais 146 estão descartados, 13 casos continuam em investigação (1 nascido morto, 1 óbito infantil e 1 intraútero e 10 em investigação clínica) e 9 casos confirmados. 

São parceiros para que as crianças notificadas sejam atendidas mais próximas de sua residência, e consequentemente de forma mais rápida na região; a Gerência Regional de Saúde; as Secretarias Municipais de Saúde, o Hospital Regional Dom Moura e a UPAE Dr. Antônio Figueira, em Garanhuns. 

Estiveram presentes no II Fórum Materno e Infantil da V Região de Saúde os Secretários de Saúde, Profissionais de Saúde da Região, Gerente e coordenações da GERES, representante da Gerência de Saúde da Criança e da Mulher da Secretaria Estadual de Saúde, além de representantes do Ministério da Saúde.

STF dá cinco dias para Temer explicar reforma no governo

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, determinou nesta quarta-feira (26) que o presidente em exercício, Michel Temer, preste esclarecimentos por escrito em cinco dias sobre a reforma administrativa que realizou no governo.
A reforma, realizada após o afastamento da presidente Dilma Rousseff em razão do processo de impeachment que tramita no Senado, incluiu nomeação de ministros, fusão e extinção de ministérios e alteração da política externa.
A decisão de Barroso foi tomada devido a uma ação apresentada no último dia 23 pelo PDT, que questionou a mudança de projetos e anulação de atos da presidente afastada. O ministro já negou pedido semelhante formulado por um diretório do PT.
O PDT pediu uma liminar (decisão provisória) para suspender as mudanças sob o argumento de que o afastamento de Dilma é temporário (por até 180 dias) e que Temer não poderia mudar o programa de governo da presidente afastada.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Agora é obrigatório farol baixo durante o dia em rodovias


Foi publicada nesta terça-feira a Lei 13.290/2016, que determina o uso obrigatório de farol baixo durante o dia em rodovias. A lei tem origem no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 156/2015, aprovado no Senado no final de abril.

A medida com objetivo de aumentar a segurança nas estradas foi defendida pelo relator da matéria no Senado, senador José Medeiros (PSD-MT), que atuou como policial rodoviário federal por 20 anos. Para o senador, trata-se de um procedimento bastante simples que deverá contribuir para a redução da ocorrência de acidentes frontais nas rodovias e salvar inúmeras vidas.

"O trânsito brasileiro é um dos que mais matam no mundo. São quase cinquenta mil vítimas fatais por ano. Essa proposta, além de não ter custos, pode resultar em menos acidentes", afirmou José Medeiros.

A baixa visibilidade foi apontada pelo autor da proposta, deputado Rubens Bueno (PPS-PR), como uma das principais causas de acidentes de trânsito nas rodovias. Segundo Bueno, “os condutores envolvidos continuam relatando que não visualizaram o outro veículo a tempo para tentar uma manobra e evitar a colisão”.

A nova lei altera o Código de Trânsito Brasileiro. Apesar de o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) já ter editado uma resolução recomendando o uso de farol baixo nas rodovias durante o dia, o entendimento é de que só uma norma com força de lei levaria os motoristas a adotarem a medida.

Prazo
Foi vetado o artigo pelo qual a lei entraria em vigor na data de publicação. De acordo com as razões do veto, “a norma possui amplo alcance, pois afeta os motoristas que circulam em rodovias nacionais e os órgãos de trânsito da Federação, e resulta na previsão de nova infração de trânsito, de gravidade média. Sempre que a norma possua grande repercussão, deverá ter sua vigência iniciada em prazo que permita sua divulgação e conhecimento.”

Segundo a Lei de Introdução ao Código Civil, as leis entram em vigor 45 dias após a publicação oficial, salvo disposição em contrário, ou seja, exceto se estiver explícita a data de início da vigência. Com o veto então, esta lei entra em vigor daqui a 45 dias.

Do Diario de Pernambuco

Profissionais da enfermagem têm reconhecimento na UPAE Garanhuns‏

profissionais
Maio é um mês especial para a saúde, pois dois profissionais imprescindíveis no contato com a população têm seus dias de comemoração. No dia 12 quem é lembrado é o Enfermeiro, no Dia Mundial da Enfermagem. Já no dia 20, as bodas são para os Técnicos de Enfermagem.

A exemplo dos anos anteriores, a UPAE Garanhuns, através da Coordenação de Enfermagem, realizou uma Semana de Atividades, que culminou na última sexta-feira (20), com ações que movimentaram, literalmente, os profissionais da Unidade de Saúde. Segundo a coordenadora de enfermagem, Tayana Guerra, a III Semana de Enfermagem da UPAE Garanhuns teve como tema este ano o "Conhecimento, Dedicação e Compromisso: Princípios que fazem a diferença". 

"Estes momentos são de confraternização, mas possibilitam dinâmicas e aprendizados que melhoram as relações de trabalho e atendimento aos usuários da UPAE." Finaliza Tayana Guerra.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Governo planeja fixar em 65 e 63 anos para aposentadoria


A reforma da Previdência defendida pelo governo de Michel Temer encontrará um difícil caminho pela frente. Além da resistência das centrais sindicais, o Palácio do Planalto já identificou indícios de rebelião no Congresso. Lideranças dos principais partidos que dão sustentação ao peemedebista dizem não estarem convencidas sobre as necessidades de mudança. Alertam que o governo está forçando a mão, pois sequer tem uma proposta pronta.

A maior resistência dos parlamentares está na definição de uma idade mínima para a aposentadoria. O governo fala em 65 anos para homens e 63 para mulheres, mas trabalha com uma alternativa, a soma de idade e tempo de contribuição como o modelo em vigor, o 85/95. A soma de anos, no entanto, seria superior a 90 anos para as mulheres e a 100 anos para os homens. Para técnicos do Ministério da Fazenda, alguma das regras tem que sair, pois o modelo em vigor está falido.



O governo está disposto a negociar. “Não há como ser intransigente em um tema tão polêmico, que provoca tanta comoção”, diz um integrante da equipe econômica. “Sabemos, também, que há muitas discrepâncias no mercado de trabalho. E isso precisa ser levado em consideração”, assinala. Na visão desse técnico, é preciso definir regras de transição que sejam mais suaves com os trabalhadores que estão prestes a se aposentar e mais rígidas com aqueles que estão mais distantes.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reconhece as dificuldades para levar a reforma da Previdência adiante. Mas ressalta que alguma coisa precisa ser feita rapidamente para conter a forte deterioração do sistema. O deficit deste ano do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) chegará a R$ 146,3 bilhões, o equivalente a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB). É quase o triplo do observado em 2014, quando o rombo ficou em R$ 56,6 bilhões. Não há, no entender do ministro, como o Tesouro Nacional arcar com um aumento tão veloz desse buraco.

CADÊ A CRISE? ARRECADAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALOÁ CRESCE MAIS DE R$ 2 MILHÕES

A crise financeira que assola o país desde meados de 2014 e tão anunciado pela mídia nacional parece que atinge apenas o cidadão que paga impostos altíssimos. A crise financeira é tão seria que culminou com a queda da então presidente da república, Dilma Roussef (PT).

Visitando o novo portal do TCE-PE, observamos que o município de Saloá figura com um crescimento em sua arrecadação de mais de R$ 2 milhões, em relação à arrecadação de 2014. No ano de 2014 de acordo com o portal TOME CONTA, o município de Saloá recebeu entre todas as receitas o total de R$ 32.504.722,14 e em 2015 recebeu o montante de RS 34.662.498,34.

Em relação á 2014 e mesmo com toda a crise que vem sendo anunciada e sentida por toda a população, nosso município recebeu R$ 2.157.776,20 a mais em 2015. Com esses números dá para questionar e perguntar: Onde é que está a crise? Qual a verdade que não foi dita à população.

Os dados são oficiais e o levantamento foi feito através do SAGRES e está atualizado com todas as receitas recebidas até 31 de Dezembro de 2015.



Link para o TCE-PE em http://www.tce.pe.gov.br/internet/


Por wellington freitas