terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Reviravolta: Suspeita de matar o jovem saloaense Marlos dos Santos Araujo foi presa

A Polícia Civil acaba de abrir inquérito para esclarecer o homicídio ocorrido na madrugada de sábado (11), em Balneário Camboriú. As primeiras informações divulgadas pela Polícia Militar foram que uma jovem de 20 anos teria sido vítima de uma tentativa de estupro e na sequência o suposto autor, de 29, teria sido encontrado morto, em via pública, com um corte no pescoço.
Para a Civil, a jovem é suspeita de homicídio doloso. Ela foi presa preventivamente no sábado e encaminhada ao presídio de Itajaí, logo após deixar o Hospital Municipal Ruth Cardoso e de ser ouvida da delegacia. 
“Diante da informação que a investigada sairia da cidade naquele mesmo dia e que inclusive já tinha desocupado o apartamento, foi elaborada a representação pela prisão preventiva dela para que nós pudéssemos assegurar a aplicação da lei penal, para que a instrução criminal continuasse”, esclareceu o delegado John Vieira, que estava de plantão na madrugada e conduzirá o inquérito.
Contudo não estão descartadas outras duas hipóteses: a de legítima defesa e a de que uma terceira pessoa possa ter participado.
O delegado ressalta que tudo será esclarecido quando os resultados das perícias forem entregues. Várias perícias foram requisitadas, inclusive exames para averiguar sinais de lesão corporal ou de conjunção carnal forçada.
Depoimentos de testemunha, que de alguma forma possam ter tido contato com o fato, ouvido ou visto algo, e imagens de câmeras também serão usadas para esclarecer o quebra-cabeças.
“Justamente por isso continuamos a investigação e não foi descartada a hipótese de ter havido um estupro ou de ser uma legítima defesa de fato”, completa o delegado.
Conforme Vieira, pelo que foi apurado até o momento, o casal não tinha problemas anteriores, apenas “estava dentro do mesmo círculo de amizades e tinha uma situação conjugal um pouco diferenciada”.
Para a Polícia Civil, a principal preocupação é que o caso seja esclarecido por completo “para que a justiça seja feita de forma correta e os julgamentos errôneos derivados da precipitação inicial não se tornem permanentes, nem que a menina seja condenada por um homicídio que foi em legítima defesa, nem que o rapaz que morreu seja alvo de um ‘falatório’ que teria estuprado ou iniciado uma agressão injusta”, declarou o delegado responsável.
Ele preferiu não informar se os envolvidos tinham antecedentes.

Entenda o caso

O homicídio aconteceu por volta das 5h da madrugada de sábado (11), na Rua 2850, no Centro de Balneário Camboriú.
A PM divulgou que ao ser atendida, a jovem relatou que estava namorando dentro do carro quando o parceiro teria tentado forçar o ato sexual, supostamente usando uma faca para ameaçá-la.
Ela teria reagido e empurrado o homem para fora do carro e depois fugiu com o veículo dele.
Na Rua 2700 a jovem colidiu com um carro estacionado e então acionou a polícia. O homem foi encontrado já em óbito.
“A única coisa que a princípio está descartada, aliás, foi um pouco desconsiderada, é a situação de ter sido um acidente. O ferimento a princípio não demonstra isso”, comenta o delegado Vieira.
A expectativa é que o inquérito seja concluído dentro de 10 dias.
Observação: os nomes dos envolvidos não serão divulgados a pedido da polícia, pois o caso ainda está em andamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário