sábado, 30 de abril de 2016

SESI/PE oferece programação especial no Dia do Trabalhador no Agreste

O Serviço Social da Indústria em Pernambuco (Sesi/PE) preparou uma programação especial e gratuita para celebrar o Dia do Trabalhador no Estado. No Agreste, a Unidade de Caruaru vai oferecer, a partir das 8h, deste domingo, 1º de maio, uma série de atividades para o lazer e a qualidade de vida do trabalhador da indústria, seus dependentes e a comunidade.

O Festival do Trabalhador vai começar com torneios de futebol de campo, society e, pela primeira vez, o futsal feminino. Quem deseja algo mais ritmado poderá experimentar o aulão de zumba, petistar as delícias e aprender as dicas do programa de Alimentação Saudável do SESI e ainda relaxar com o banho de piscina.

De acordo com superintende do Sesi/PE, Ernane Aguiar, “o trabalhador é o ativo mais importante do setor produtivo, por isso nossa homenagem aqueles que vestem a camisa da indústria pernambucana, fazendo-a crescer e vencer a crise”.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Argumentos pífios e teatro de baixo nível marcaram a defesa do impeachment no Senado

Por Ivan Valente

A diferença de qualidade entre os acusadores do impeachment de Dilma, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, e a defesa do governo do Governo é gritante. Independente dos erros políticos graves de condução política, que o PSOL critica no Governo Dilma, a questão é: a oposição de direita não consegue apontar crime de responsabilidade em pedaladas fiscais.
Arrumaram um álibi, um pretexto para afastar a presidente e criar um atalho para o poder. Um golpe institucional.
Mas o que mais chamou a atenção foi o espetáculo patético patrocinado pela advogada Janaína Paschoal. Foi constrangedor mesmo para os mais empedernidos defensores do impeachment vê-la tratar de vários temas: bolivarianismo, negócios de empreiteiras em Angola, órfãos do FIES, seu cabelo, sua negação enfática de não ser tucana, seus honorários advocatícios, etc.
Argumentos sobre as pedaladas fiscais foram ridículos e demonstram a fragilidade da peça de denúncia.

Armando Monteiro e Kátia Abreu deixarão cargos para votar contra impeachment

Mais dois ministros deverão deixar o governo, mas não por estarem abandonando a presidente Dilma Rousseff, como os demais que deixaram seus cargos até agora. Os senadores e ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro e da Agricultura, Kátia Abreu, vão sair dos seus cargos poucos dias antes da votação em plenário da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, previsto para o dia 11 de maio.

O objetivo é assegurar mais dois votos e ajudar a fazer a defesa da petista no Senado, na reta final. Outra estratégia que poderá ser adotada pelo governo, em defesa do mandato da presidente Dilma Rousseff, é dar entrada no Supremo Tribunal Federal (STF) com ação questionando se as pedaladas fiscais são crime de responsabilidade, como afirma o pedido de afastamento.

Vários juristas têm sugerido esta proposta ao Planalto, que ainda está em estudo. A ação, no entanto, pode ser "uma faca de dois gumes". De acordo com assessores palacianos, caso o STF dê razão ao governo, ótimo. Mas, o fato é que não há certeza sobre isso e, como o tribunal tem imposto muitas derrotas ao Planalto, há um temor de que, caso o STF diga que pedalada é crime, seja uma sentença final, antes do final do julgamento. Por isso, a decisão é considerada delicada por alguns assessores do Palácio, que ainda vão discutir mais esta estratégia com os principais assessores diretos de Dilma e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Matéria Diario de Pernambuco

Residentes concluem cursos na V GERES e Hospital Regional Dom Moura


Durante dois dias, representantes da Secretaria Estadual de Saúde estiveram em Garanhuns acompanhando as apresentações dos TCC´s (Trabalhos de Conclusão de Curso) dos Estudantes Residentes da V GERES - Gerência Regional de Saúde, e do Hospital Regional Dom Moura. A SES foi representada pela Secretária Executiva de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, Dra. Ricarda Samara, e por Dra. Célia Borges, gestora da Escola de Saúde Pública do Governo do Estado, além da Coordenadora do Programa de Residência, Leila Navarro.

Na quarta-feira, 27, a banca foi montada para a apresentação dos Residentes em Saúde Coletiva da V GERES, que defenderam teses na área de Gestão Pública com ênfase na saúde. Os residentes foram acompanhados durante este período por Fátima Godoy e Vanessa Leandro.


Na quinta-feira, 28, a Residência Multiprofissional do Hospital Regional, que conta com especialidades como Fisioterapia, Enfermagem, Nutrição, Assistência Social, Psicologia e Odontologia, mostrou os trabalhos da turma que concluiu o curso neste semestre. Sob a coordenação de Bruna Souza, a residência já iniciou nova turma.

O diretor do Hospital Dom Moura, Luiz Melo, afirmou que os trabalhos revelaram o compromisso com a Gestão do SUS. "A Residência do Dom Moura recebeu o Prêmio INOVASUS, do Ministério da Saúde, o que revela o investimento exitoso da Secretaria de Saúde do estado, e a determinação com a qual nossa equipe coordena as equipes de residentes, com olhar especial para o acolhimento no SUS."

Dra. Catarina Tenório, gestora da V GERES, acompanhou os dois dias de trabalhos. "Trata-se de um investimento de interiorização da gestão em saúde, quando Garanhuns e outras regionais se tornam campo para residentes, que vêm conhecer a realidade local, e na maioria das vezes acabam se instalando nos municípios depois de formados. A Residência da V GERES tem esta característica, desenvolvendo os estudantes para a Gestão Pública em Saúde" -finalizou.

Gestão do Trabalho e Educação em Saúde

Dra. Ricarda Samara, Médica Sanitarista, foi gestora da V GERES, em Garanhuns, por dois anos, quando foi convocada para assumir novos desafios na Secretaria Estadual de Saúde. "Estamos agora na Secretaria Executiva, mas há um sentimento de "pertencimento" a esta região, e por isto, buscamos atender novas demandas que tenham resultado na gestão da saúde regional. Temos na Escola de Saúde Pública, com Célia Borges, uma grande parceria, que vai possibilitar novas ações no Agreste". 

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Bombeiros e policiais militares de PE aceitam proposta do governo

Policiais e bombeiros militares de Pernambuco aceitaram a nova proposta do executivo estadual de reajuste, em uma segunda assembleia na Praça da República, na noite desta quarta-feira (27).  A nova proposta representou um ganho real de 20% para as categorias. Policiais e bombeiros trabalham normalmente na quinta (28).
Governo e os representantes das categorias se reuniram por duas vezes nesta quarta (27), na Secretaria de Administração de Pernambuco, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife. A nova proposta do governo foi de elevar de R$ 350 para  R$ 400 fixos mensais de auxílio-transporte, passando a ser a partir de junho, invés de julho. A gratificação vale também para os inativos.
A nova proposta incluiu a revisão, ainda neste ano, do Código Disciplinar, além de concurso para 300 soldados dos Bombeiros. Com as gratificações, o ganho real chega a 20% para a categoria. Permaneceu a proposta de R$ 750 anuais de auxílio-uniforme pagos a partir de junho, o que equivale a R$ 62,50 mensais."Ficou acordado com o governo que, em janeiro do ano que vem, vamos discutir os reajustes reais que as categorias precisam", comemorou Alberisson Carlos, presidente da Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE).
"O que o ativo tem o inativo também terá. A nossa força vem da nossa união. Os policiais e os bombeiros militares foram verdadeiros guerreiros, pois nós conseguimos uma grande vitória", afirmou José Roberto Vieira, presidente da Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (Aspra-PE).

Do G1 Caruaru

abertura do Maio Amarelo Regional em Garanhuns


A Gerência Regional de Saúde, em Garanhuns, e as diversas instituições que compõem o Comitê Regional de Prevenção aos Acidentes de Moto (CRPAM) iniciam na próxima terça-feira, 03/05, uma série de atividades para alertar a população para um trânsito seguro, como parte da campanha mundial "Maio Amarelo". Ações educativas e de fiscalização estão programadas para acontecer durante todo o mês, em parceria com as instituições e os municípios que fazem parte da V GERES. 

A solenidade de abertura acontece na terça-feira, 03, no auditório da FUNASA, em Garanhuns, às 09:00h, com apresentação das ações realizadas no controle de acidentes, ministrada pela Gestora Regional de Saúde, Dra. Catarina Tenório. "O Hospital Regional Dom Moura traz números alarmantes de acidentados de motos, que curiosamente caem pela metade em Garanhuns e região nos dias de fiscalização da Operação Lei Seca em Garanhuns" - Afirma a gestora.

As ações serão realizadas por instituições como o próprio CRPAM, Polícia Rodoviária Federal, Operação Lei Seca, Hospital Regional Dom Moura, Polícia Militar (9º BPM), Bombeiros, Detran, DER-PE, Alves Motos Honda, AMSTT-Garanhuns, Escolas Estaduais e Municipais, e Secretarias Municipais de Saúde, Educação e Trânsito, dentre outras.

As atividades acontecem durante todo o mês, com palestras, entrevistas, oficinas educativas, apresentações e trabalhos escolares, apresentações de vídeos no ônibus da Honda, Blitz educativas e de fiscalização, palestras para mototaxistas, adesivações e panfletagens, entre outros.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Preocupação com à ameaça de greve da Polícia Militar

O Ministério Público do Estado de Pernambuco, no exercício da função institucional do controle externo da atividade policial, vem externar sua preocupação em face das notícias veiculadas pela imprensa local, alusivas à possibilidade de deflagração de greve pelos integrantes da Polícia Militar de Pernambuco e do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco.
O MPPE espera que os atores envolvidos nas negociações possam chegar a um consenso, tendo em vista que eventual movimento paredista implicará considerável prejuízo à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, com um agravamento da criminalidade no seio da sociedade pernambucana.
É mister destacar, ademais, a vedação estabelecida na Constituição Federal, nos termos dos artigos 42, § 1º e 142, § 3º, IV, no que pertine à deflagração de greve por policiais militares, ao mesmo tempo em que se reconhece a necessidade de melhorias nas condições de trabalho dos policiais militares.
O MPPE manifesta-se no sentido de que seja estabelecido um efetivo diálogo entre o Estado de Pernambuco e as associações dos militares, com vistas à manutenção do serviço essencial de segurança pública, que é dever do Estado e direito e responsabilidade de todos, nos termos do art. 144 da Constituição Federal.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Inscrições abertas para 2ª Corrida SESI Dia do Trabalhador

O Serviço Social da Indústria em Pernambuco (SESI/PE) comemora o Dia do Trabalhador, no domingo (1º de maio), com uma corrida pelas ruas do Recife. A ideia é aproveitar a data para incentivar a adoção de um estilo de vida mais saudável entre os profissionais pernambucanos. Essa é a segunda edição da prova, que terá percursos de 5 km e 10 km, e acontece às 7h, no Cais da Alfândega. As inscrições podem ser feitas no www.eventick.com.br/corridasesi-pe, obedecendo as categorias e valores especificados.

O trabalhador da indústria paga R$ 15,00, colaboradores do Sistema Indústria (R$25,00) e para o público a inscrição custa R$ 40,00.

“Entendemos que a prática da corrida, assim como de outras atividades físicas, é um caminho eficaz para promover a saúde e a qualidade de vida do trabalhador. Por isso, resolvemos celebrar o 1º de maio de uma forma diferente, incentivando-os a deixar o sedentarismo de lado e investir no cuidado com o corpo”, afirmou o analista de Vida Saudável do SESI/PE, Fernando Medeiros.

Premiação – Além de troféus, a corrida SESI Dia do Trabalhador concederá premiação em dinheiro para os primeiros colocados no percurso de 10km -  R$2 mil (1º lugar), R$ 1 mil (2º) e R$ 500 (3º). A prova terá duas categorias: Trabalhadores da Indústria (feminino e masculino) e Atletas em Geral (feminino e masculino). No percurso de 5 km, haverá entrega de troféus e medalhas. Todos que cruzarem a linha de chegada também receberão medalha de participação. Mais informações: (81) 3082.6189.

IMIP valoriza experiências inovadoras em suas gestões em Pernambuco


Atuando como Organização Social, desde outubro de 2009, o IMIP cumpre com excelência um importante papel na sociedade pernambucana, prestando serviços de saúde de qualidade e atendimento humanizado. Por meio da Fundação Martiniano Fernandes, o Instituto administra os hospitais metropolitanos Miguel Arraes, Dom Malan, Dom Helder Câmara, e Pelópidas Silveira, além de oito Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), e três Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (UPAEs), dentre elas, a primeira do estado, em Garanhuns.

Gestores, coordenadores e demais envolvidos nas administrações da rede, de todas as unidades, estiveram reunidos na última semana no Seminário de Experiências Exitosas do IMIP Gestão. buscando destacar que mesmo diante de situações de crise (a exemplo da política e econômica pelas quais passa o país) é possível obter bons resultados na gestão de saúde, com ênfase nas áreas de Assistência, Ensino e Pesquisa.


A superintendente geral do IMIP Hospitalar, Ana Cláudia Figueira, avaliou a importância do evento: “É o momento de compartilhar, com clareza, as boas experiências vivenciada no dia a dia. Assim, quem sabe, evoluímos para uma troca de conhecimentos com outras instituições que atendem os usuários do SUS.

UPAE GARANHUNS

A Unidade Pernambucana de Atendimento Especializado Prof. Antônio Simão dos Santos Figueira, em Garanhuns, esteve presente com diversos profissionais, que apresentaram cinco trabalhos inovadores, recebendo elogios e que podem servir de exemplo às demais unidades presentes ao seminário:

- Controle e Validação de compras como estratégia para manutenção dos níveis de estoque - Apresentado por Gustavo Amorim, Coordenador Geral da UPAE Garanhuns.

- Redução do Consumo de Energia Elétrica na UPAE Garanhuns - Leandro Moura, Coordenador Administrativo.

- Terceirização dos Serviços Médicos em Unidade de Atenção Especializada - Dr. Franco Junqueira, Coordenador Médico.

- Pré-Fracionamento de Produtos Hospitalares na CAF: Uma alternativa viável para um melhor aproveitamento do Espaço Físico Disponível - Manuela Falcão, Farmacêutica.

- Criação de uma Cartilha de Acolhimento aos acadêmicos de medicina de uma universidade pública que realizam aulas práticas na UPAE Garanhuns - Luiz Cezar, Enfermeiro.

O coordenador da UPAE Garanhuns, Gustavo Amorim, analisou o encontro como necessário e enriquecedor: "Foi apenas o primeiro, mas percebemos que a iniciativa se faz necessária em sua continuidade. Nesta troca, estamos levando boas ideias para Garanhuns, assim como trouxemos experiências que deram certo, otimizando setores da administração da unidade." - Finaliza.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

62% preferem novas eleições presidenciais

Pesquisa Ibope realizada de 14 a 18 de abril mostra que 62% dos entrevistados prefere novas eleições presidenciais. Foram ouvidas 2.022 pessoas em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Segundo os entrevistados, a melhor forma de superar o momento de crise política seria:
62% - Dilma e Michel Temer saírem do governo e ocorrerem novas eleições para presidente

25% - Dilma continuar seu mandato com um novo pacto entre governo e oposição
8% - Dilma sofrer impeachment e o vice-presidente Michel Temer assumir a presidência
3% - Não sabe/não respondeu
2% - Nenhuma dessas/outra

O Ibope também perguntou com qual das frases o entrevistado está mais de acordo:
40% - A democracia é preferível a qualquer outra forma de governo

34% - Para as pessoas em geral, dá na mesma se um regime é democrático ou não
15% - Em algumas circunstâncias, um governo autoritário pode ser preferível a um governo democrático
11% - Não sabe/não respondeu

Questionados sobre o grau de satisfação em relação ao funcionamento da democracia no Brasil, os resultados foram os seguintes:
49% - Nada satisfeito

34% - Pouco satisfeito
12% - Satisfeito
3% - Não sabe/não respondeu
2% - Muito satisfeito

Segundo o Ibope, as perguntas cujas somas das porcentagens não totalizam 100% são decorrentes de arredondamentos ou de múltiplas respostas. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.


Materia Do G1 

domingo, 24 de abril de 2016

Manifestantes contra e pró-Dilma entram em confronto em SP

Confusão ocorreu na Av. Paulista. Paus e barras de ferro foram arremessados.


Manifestantes contrários e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff entraram em confronto na Avenida Paulista. A confusão começou quando manifestantes do “Ocupe a Democracia”, que fazia uma caminhada, passou ao lado dos ativistas que estão acampados na Fiesp, que apoiam a saída de Dilma. Cerca de 50 pessoas participaram da briga. Paus e barras de ferro foram arremessados de ambos os lados. A polícia chegou 15 minutos depois.  

Irmãos são mortos a tiros em Garanhuns

Dois irmãos - um de 32 e o outro de 28 anos - foram mortos a tiros no sábado (23) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, eles estavam no Bairro Cohab I quando foram abordados por dois homens em um carro - que atiraram contra as vítimas.
A polícia informou que os irmãos foram atingidos na região da cabeça e no tórax. Eles não resistiram aos ferimentos e morreram na hora. Os corpos foram encaminhados ao Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, no Agreste.
De acordo com a Polícia Civil, a motivação do crime ainda é desconhecida. Os suspeitos fugiram e - até a publicação desta matéria - não tinham sido idenficados ou presos.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Dilma não fala em golpe na ONU

A presidente Dilma Rousseff recuou e não se disse vítima de um "golpe parlamentar" no Brasil ao discursar nesta sexta-feira (22) perante chefes de Estado mundiais na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Praticamente todo o seu discurso foi sobre clima. Apenas nas cinco frases finais, Dilma disse que o Brasil vive atualmente um "grave momento", com uma sociedade que construiu uma "pujante democracia" e que o povo saberá "impedir quaisquer retrocessos".

Alvo de um processo de impechment no Congresso Nacional, a presidente chegou a cogitar nos últimos dias, segundo assessores do Palácio do Planalto, denunciar durante seu discurso de cinco minutos na ONU que é vítima de um "golpe parlamentar" no Brasil.

Diante dessa possibilidade, os ministros do Supremo Tribunal Federal Celso de Melo, Dias Toffoli e Gilmar Mendes refutaram a tese da presidente, atestando que há base legal para o processo de afastamento que tramita no Legislativo. "Há um equívoco quando [Dilma] afirma que há um golpe parlamentar, ao contrário. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar uma Arguição de Descumprimento de preceito Fundamental, deixou claro que o procedimento destinado à abertura do processo de impeachment observa os alinhamentos ditados pela Constituição da República", disse Celso de Mello.

A presidente gastou quase toda a sua fala de 8 minutos e 42 segundos com considerações sobre o acordo climático e apenas mencionou a situação política em sua conclusão: "Não posso terminar minhas palavras sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. A despeito disso, quero dizer que o Brasil é um grande país, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia. Nosso povo é trabalhador e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir quaisquer retrocessos. Sou grata a todos os líderes que expressaram a mim sua solidariedade", afirmou a presidente em discurso na solenidade de assinatura do acordo do clima de Paris.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Casos de Microcefalia confirmados chegam a 1.168

 Número de casos confirmados de microcefalia no Brasil chegou a 1.168. Ao todo, foram 7.150 notificações desde o início das investigações, em 22 de outubro, até 16 de abril. Segundo a pasta, 2.241 casos foram descartados e outros 3.741 casos ainda estão sendo investigados.
Os dados são do boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (20). Dos casos confirmados de microcefalia, 192 tiveram teste positivo para o vírus da zika.
Estados
O estado com maior número de casos confirmados ainda é Pernambuco, com 333 casos, seguido da Bahia, com 219, Paraíba, com 109, e do Maranhão, com 90 .

Desde 22 de outubro, houve 240 notificações de mortes por microcefalia ou outras alterações no sistema nervoso central durante a gestação ou após o parto. Deste total, 51 óbitos foram confirmados para microcefalia e alterações do sistema nervoso central, 30 foram descartados e 165 continuam sob investigação.

STF deve julgar hoje se Lula pode tomar posse

O plenário do Supremo Tribunal Federal deve julgar nesta quarta-feira (20) se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode assumir a Casa Civil. Ele tomou posse como ministro em 17 de março, mas o ministro Gilmar Mendes suspendeu sua nomeação no dia seguinte, por meio de uma liminar.
Na decisão, tomada em ação movida por partidos de oposição,  Mendes argumentou que o ex-presidente foi nomeado ministro para ter foro privilegiadoo e, assim, tirar as investigações sobre ele das mãos do juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal do Paraná. Ministros de Estado têm foro privilegiado – isto é, só podem ser investigados no  STF.

Do G1 

terça-feira, 19 de abril de 2016

Mendonça Filho é recebido aos gritos de golpista no Recife



O deputado federal Mendonça Filho, do Democratas, foi recepcionado aos gritos de “golpista” ao chegar no Aeroporto Internacional do Recife nesta terça-feira. Líder da oposição na Câmara dos Deputados, Mendonça foi um dos parlamentares pernambucanos que votou pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff em Brasília, no último domingo. 

Quando tentava deixar o aeroporto do Recife, o deputado federal foi surpreendido por manifestantes, que o acusaram de ter compactuado com o que consideram um golpe de Estado. Nas imagens, compartilhadas nas redes sociais, Mendonça Filho aparece irritado com a abordagem e chega a mandar beijo para os manifestantes. 

( TV SALOA WEB ) GABRIEL DINIZ O GD ( ENTREVISTA NO PARQUE E HARAS PARANÁ ) PARANATAMA - PE


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Senado A última esperança de Dilma

Depois da derrota na longa e tumultuada votação na Câmara, onde o impeachment foi aprovado neste domingo, a presidente Dilma Rousseff tem no Senado – tradicionalmente mais favorável ao governo – a última esperança de manter seu mandato.
Algo que, porém, já não parece tão simples: antes vista como "dilmista", a Casa teve o perfil severamente alterado com o avanço da crise e a saída do PMDB da base aliada – partido que seria o maior beneficiado do afastamento da petista, já que Michel Temer, um de seus principais quadros, assumiria o controle do país.
Entenda, a seguir, como fica o processo daqui para a frente:
1. Qual é o papel da Câmara a partir de agora?
Na prática, quase nenhum. Constitucionalmente, a função da Casa é autorizar o início do processo de impeachment.
Ao definir o rito da tramitação, em dezembro passado, o STF (Supremo Tribunal Federal) deu ainda ao Senado a alternativa de acatar ou não a decisão dos deputados, ou seja, o processo pode nem chegar a ser instaurado caso os senadores assim decidam.
A autorização da Câmara para o processo contra a presidente será enviada ao Senado. Além disso, a Casa, segundo a Constituição, elegerá uma comissão de três deputados para acompanhar a tramitação.
2. O que os senadores vão decidir?
Em um primeiro momento, os parlamentares irão definir se instauram ou não o processo autorizado pela Câmara.
Para que o impeachment avance, serão necessários os votos de ao menos 41 dos 81 senadores.
Caso isso ocorra, haverá um segundo e definitivo momento mais adiante: o julgamento no qual eles decidirão se Dilma é culpada ou inocente das acusações de crime de responsabilidade.
3. Quando o Senado deve tomar essas decisões?
Diferentemente da tramitação na Câmara, a Constituição não estabelece prazos para o Senado na apreciação do impeachment.
Segundo o regimento interno da Casa, após a Câmara enviar a autorização, o documento será lido na sessão seguinte. Nesse mesmo dia, os senadores elegerão uma Comissão Especial, assim como a da Câmara, composta por um quarto dos parlamentares.
A lei 1.079, de 1950, que rege o impeachment, determina que essa comissão deverá se reunir em até 48 horas, eleger presidente relator e emitir, em um prazo de dez dias, um parecer recomendando levar ou não a denúncia contra a presidente a julgamento.
Esse parecer, determina a legislação, deverá ser lido em sessão da Casa, publicado e levado a votação na sessão seguinte, na qual precisará ser aprovado por mais da metade dos senadores para que o processo seja instaurado.
Segundo relatos da imprensa, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), já manifestou a intenção de fazer com que essa votação ocorra no dia 11 de maio.
Depois disso, não há prazos determinados – embora haja um tempo máximo para que a presidente fique afastada à espera do julgamento (confira no próximo tópico).
4. O que acontece com Dilma a partir da decisão da Câmara?
Inicialmente, nada. A presidente só terá de sair do cargo se o Senado der seu aval à decisão dos deputados de abrir o processo contra ela.
A princípio, essa saída seria temporária. Dilma ficaria afastada e teria os rendimentos cortados pela metade por até 180 dias, enquanto o julgamento no Senado não fosse realizado. Temer assumiria seu lugar.
Caso ele não ocorresse nesse período, a petista retomaria a cadeira presidencial e aguardaria a decisão dos senadores no exercício do cargo.
5. Como seria o julgamento no Senado?
O procedimento não é chamado de julgamento à toa: a Constituição estabelece que o presidente do Supremo Tribunal Federal deve comandar a sessão no Senado. Além disso, há protocolos como discursos da acusação e da defesa, assim como ocorre em um júri comum.
Segundo a Carta Magna, o presidente do STF deve fazer um relatório resumido da denúncia, das provas apresentadas pela acusação e da defesa antes que os senadores votem nominalmente – com direito a discurso, assim como ocorreu na Câmara.
Seriam necessários os votos de no mínimo dois terços da Casa, ou 54 senadores, para que Dilma perdesse definitivamente o mandato.
Como resultado disso, o vice ocuparia o cargo até o fim do mandato e ela ficaria inelegível por oito anos.
Se o impeachment não recebesse os votos necessários, a presidente seria absolvida e retomaria suas funções.

Doméstica morre em acidente de carro em Garanhuns

Uma doméstica de 32 anos morreu em um acidente de trânsito no domingo (17) em Garanhuns, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, a vítima estava em uma moto e colidiu lateralmente em um carro.

Ainda segundo a PM, o condutor do automóvel realizou o teste do bafômetro e foi constatado que ele não havia ingerido bebida alcoólica. O homem foi levado para a Delegacia de Polícia Civil, prestou depoimento e foi liberado.

domingo, 17 de abril de 2016

Câmara vota hoje se abre processo de impeachment

Veja passo a passo como será a sessão deste domingo:
– A sessão começa às 14h. Antes dos deputados votarem, terá a palavra por 25 minutos o relatorJovair Arantes.
– Os líderes partidários poderão usar a palavra. O tempo varia de 3 a 10 minutos, de acordo com o tamanho da bancada, além de mais um minuto para orientação do voto dos deputados da legenda.
– A votação é por chamada nominal. A ordem começará com deputados do Norte e será feita alternância entre parlamentares do Norte e do Sul. Dentro de cada estado, a ordem de chamada é alfabética.
– Cunha vai decidir na hora se sai da Presidência para votar na chamada dos deputados do Rio ou se votará por último. 
– Cada um dos deputados é chamado ao microfone para anunciar seu voto. Eles se levantam, vão ao microfone e respondem "sim" (aprovação), "não" (rejeição) ou "abstenção".
– Cada deputado deve gastar, em média, 30 segundos para votar, contando deslocamentos e pequenos discursos. Não haverá encaminhamento de votação nem questões de ordem nesse período.
– Os votos serão registrados por quatro secretários posicionados na Mesa, próximos do presidente Eduardo Cunha. Um registra os votos "sim", outro os "não", o terceiro registra as abstenções, e o quarto, os deputados ausentes.
– Quando o deputado anunciar seu voto, o secretário do voto correspondente diz em voz alta o nome do deputado, o voto e quantos votos daquele já existem.
– Terminada a chamada dos 513, faz-se uma segunda chamada dos que estavam ausentes na primeira.
– Com 342 votos "sim" (2/3 dos 513 deputados), o parecer é aprovado e é autorizada instauração de processo de impeachment da presidente da República. Caberá ao Senado decidir se processa e julga a presidente.
– Se não alcançar 342 votos, o parecer pró-impeachment é arquivado.

sábado, 16 de abril de 2016

Qual o efeito que o impeachment tem sobre a alma das pessoas?

Por Vandeck Santiago
Qual o efeito que o impeachment de um presidente tem sobre a alma das pessoas? Desculpem-me por tratar de uma questão talvez menor, sei que todos querem saber é dos efeitos na economia e na política, mas eu estava lá, no impeachment de Fernando Collor em 1992, e posso dar um testemunho. O sentimento que predominou após aquele ato foi o da concórdia entre os brasileiros. Acordaram no dia seguinte mais animados, esperançosos sobre o futuro, como se tivessem participado, ou sido testemunhas, do reencontro definitivo do país com a democracia - fazia apenas sete anos que a ditadura chegara ao fim. 
Não quero parecer pessimista, mas o sentimento que vai predominar neste domingo não será o da concórdia. Será o da discórdia. E não importa o que aconteça: tanto faz o impeachment da presidente Dilma Rousseff ser aprovado quanto rejeitado. O clima de confronto instaurado no país desde as eleições de 2014 se manterá, independentemente do resultado da votação. 
Em 1992 havia um consenso sobre a saída de Colllor - empresários, políticos, trabalhadores, movimentos sociais e estudantes, muito estudantes. Agora em 2016 não há consenso sobre nada - até uma ordem de votação torna-se polêmica a ponto de ser debatida no STF, como aconteceu anteontem com o rito de votação do impeachment. Como parte dessa discórdia, vem a desconfiança de que de uma forma ou de outra todos estão sendo parciais: juízes, polícia, imprensa, autoridades… As forças em disputa não identificam, no meio dessa tempestade, aquela figura idealizada do “magistrado” - uma instituição ou pessoa cujas decisões sejam tomadas com independência, e não para favorecer o lado A ou lado B. Aqui temos novamente um paralelo com 1992: naquele ano o vice, Itamar Franco, manteve-se distante do afastamento de Collor, sem participar das articulações que levaram à derrubada do presidente. Agora, em 2016, o vice Michel Temer é protagonista das articulações pela saída da presidente. 
A presidente Dilma afirmou em entrevista que, se o impeachment for rejeitado, buscará um pacto com todas as forças políticas e empresariais. É um apelo que pode até ser atendido, mas chega tardiamente - ela teve cinco anos para fazê-lo e não o fez. Do outro lado, Michel Temer também fala em reconciliação, mas age acintosamente (o termo se emprega aqui dada o cargo que ele ocupa) pela derrubada da pessoa de quem foi vice por mais de cinco anos, a ponto de já ter até treinado o pronunciamento para o momento seguinte à queda. Além de ter como principal aliado nessa articulação o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que é réu na Lava-Jato, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Situação que o insuspeito New York Times expôs em longa matéria na edição de ontem, afirmando que “alguns dos deputados mais ativos na pressão pelo impeachment de Dilma enfrentam sérias acusações de corrupção, fraude eleitoral e abusos dos direitos humanos”. Diz a matéria que Dilma é “uma raridade entre a maioria dos políticos do Brasil”, porque sobre ela não pesam acusações de corrupção ou roubo do dinheiro público. 
O impeachment é uma ruptura, um trauma a ser sentido pelas forças que são postas para fora do poder e para seus aliados. Isso quase não se sentiu na época de Collor dada a falta de base social e política dele, e do escasso apoio popular com que contava no momento. Havia, naquele momento, um sentimento generalizado de que ele cometera algum ilícito no exercício da Presidência. Com Dilma é diferente: ela tem base social e política e não há uma acusação contra a sua honestidade. Para aqueles que são contra sua saída, o impeachment terá um impacto profundo, em um misto de perda e revolta. 
Já na hipótese de o impeachment ser rejeitado, o sentimento de perda e revolta estará na alma daqueles que vêm lotando as ruas em protestos continuados contra o governo, Lula e o PT. 
Em um ou outro caso, teremos sempre uma parcela de brasileiros descontentes e indignados, ávidos por expressar sua indignação, e que não verão credibilidade no governo. Gostaria de estar aqui hoje com uma mensagem otimista; os fatos, porém, falam mais alto. O sentimento que sairá da votação deste domingo não será o da concórdia.

Justiça bloqueia R$ 3,8 milhões do ex-prefeito de Itaíba

A Justiça bloqueou R$ 3.870.109,68 em bens do ex-prefeito de Itaíba, no Agreste. A medida foi tomada após serem expedidas ações civis públicas por improbidade administrativa contra o ex-parlamentar. De acordo com a assessoria de comunicação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a Justiça também bloqueou R$ 44 mil em bens do ex-presidente da Câmara de Vereadores do município.
O juiz Marcos Antonio Tenório, da Vara Única da Comarca de Itaíba, tomou estas medidas com o objetivo de "garantir o ressarcimento dos cofres públicos ao fim do processo". Segundo o MPPE, o ex-gestor cometeu fraudes em licitações, débitos no pagamento de contribuições previdenciárias, contratações irregulares de bandas e a compra de combustíveis a uma empresa que tem como sócia uma funcionária da Prefeitura.
Com relação ao ex-presidente da Câmara, a Justiça tomou a decisão "em virtude de danos causados em razão de dispensa indevida de licitação para a compra de combustível para os veículos oficiais".
Também foram ajuizadas ações civis públicas contra dois homens que integravam a Comissão de Licitação da Prefeitura em 2011. "A dupla foi acusada de formalizar sete processos de inexigibilidade de licitação irregulares para a contratação de shows musicais em datas festivas do município", conforme informou o MPPE.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Dilma deve fazer pronunciamento na TV hoje

A presidente Dilma Rousseff deve fazer um pronunciamento na TV na noite desta sexta-feira (15) contra o processo de impeachment que enfrenta na Câmara dos Deputados.                     Na manhã desta sexta, a Câmara deu início à sessão para partidos e parlamentares se pronunciarem sobre o processo de afastamento da presidente. A votação para decidir se a Casa abrirá ou não o processo de afastamento ocorrerá no domingo (17) à tarde.

Dilma tem participado desde as últimas semanas de atos com grupos contrários ao impeachment, como juristas, artistas, intelectuais, mulheres, educadores e movimentos sociais.

Nesses encontros, ela tem enfatizado que o seu pedido de afastamento não tem base jurídica, é uma "farsa" e, por isso, é um "golpe". Ela também tem dito que "jamais" renunciará ao cargo.

Na estratégia de mostrar que, mesmo diante de um cenário de turbulência política ainda tem apoio de setores da sociedade, Dilma deverá participar neste sábado (16) do ato "Movimentos Populares pela Democracia e Contra o Golpe", em Brasília.

Para o domingo, há a expectativa entre assessores do Planalto de que a presidente se posicione após o resultado da votação do impeachment na Câmara.

Ex-vereador morre em acidente em Bom Conselho

Um ex-vereador do município de Estrela de Alagoas, em Alagoas, morreu em um acidente na quinta-feira (14) após o carro dele colidir com outro no Distrito de Lagoa de São José, em Bom Conselho, Agreste de Pernambuco. Segundo a Polícia Militar, perdeu o controle ao passar por uma curva na PE-218, invadiu a faixa contrária da rodovia e bateu frontalmente com outro veículo.
Testemunhas informaram que chovia bastante no momento do acidente. Ainda segundo a PM, a vítima - de 54 anos - não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O motorista do outro carro teve ferimentos leves, prestou depoimento na Delegacia de Bom Conselho e foi liberado, conforme informou a polícia.
O corpo do ex-vereador foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru.

G1 Caruaru

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Sebrae de Garanhuns sedia palestras sobre empreendedorismo

Cinco palestras sobre empreendedorismo serão ministradas em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, desta quinta-feira (14) até o dia 20 de abril. O evento será realizado na sede do Sebrae, na Avenida Rui Barbosa, número 671, no Bairro Heliópolis. De acordo com a organização, as inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no local.
A primeira palestra será com o consultor em gestão e desenvolvimento de negócios Fabiano Santos, das 19h às 21h. No mesmo dia e horário, será ministrada a palestra "Marketing nas Redes Sociais para Grupos de Moda", com Simone Muruá.
Em 18 de abril, Érica Paiva comanda a palestra “Vencendo os Desafios do Varejo de Alimentos”. Ela também será a responsável pelas palestras nos dias 19 e 20, com os temas: "Vencendo os Desafios do Varejo em Épocas de Crise” e “Foco nas Vendas: Merchandising de Alto Impacto no Varejo”, respectivamente.
Para mais informações é só entrar em contato com Sebrae através dos números 0800 570 0800 e (87) 3221.3333
Serviço
Palestras gratuitas em Garanhuns
Local: Sebrae
Endereço:  Avenida Rui Barbosa, nº 671 – 1º andar, Heliópolis
Período: 14 a 20 de abril
Horário: das 19h às 21h
Acesso: gratuito.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

PDT anuncia que votará contra o impeachment

O PDT faz parte da base aliada e, atualmente, ocupa o Ministério das Comunicações. A decisão foi tomada em uma reunião na noite de terça (12) entre 19 dos deputados pedetistas, o presidente do partido, Carlos Lupi, e o ministro André Figueiredo.
No jargão político, “fechar questão” significa que todos os parlamentares devem seguir a orientação da legenda, sob pena de punição, que pode ser até a expulsão da sigla.
Decisão unânime
Segundo Weverton Rocha, a decisão foi unânime entre os presentes. O deputado Mário Heringer (PDT-MG) foi o único que não participou do encontro porque não teria conseguido chegar a tempo em Brasília.

Rocha reconheceu que Heringer tem uma postura mais crítica ao governo, mas tem acompanhado as decisões partidárias. O líder lembrou ainda que o diretório nacional se reúne em maio e caberá a essa instância partidária decidir sobre eventuais descumprimentos de decisões da legenda.
Ele ponderou que o partido como um todo tem críticas ao governo, mas que se manterá fiel ao Palácio do Planalto.

Do G1

PP anuncia desembarque do governo

Nogueira anunciou o desembarque logo após receber das mãos do líder do PP na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), o resultado da reunião da bancada da Casa realizada nesta tarde, na qual a maioria dos deputados decidiu fechar posição “majoritária” a favor do impeachment.
Dos 47 deputados do PP, 44 participaram da reunião da bancada. Desses, 31 votaram a favor do impeachment e 13 contra o impedimento de Dilma. Os outros não compareceram ao encontro, entre eles, o ex-líder do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PE).
Na prática, a decisão da bancada do PP na Câmara não significa um “fechamento de questão”. O próprio presidente da legenda e Aguinaldo Ribeiro deixaram isso claro, ao esclarecerem que o partido não vai “perseguir ou penalizar” aqueles parlamentares que não seguirem a posição majoritária da bancada.

terça-feira, 12 de abril de 2016

veja quem votou contra e favor na comissão do impeachment

A FAVOR38
CONTRA27
ABSTENÇÕES0
AUSÊNCIAS0
AGUINALDO RIBEIRO
PP - PB
CONTRA
ALEX MANENTE
PPS - SP
A FAVOR
ALIEL MACHADO
REDE - PR
CONTRA
ARLINDO CHINAGLIA
PT - SP
CONTRA
BACELAR
PTN - BA
CONTRA
BENEDITA DA SILVA
PT - RJ
SUPLENTE
CONTRA
BENITO GAMA
PTB - BA
A FAVOR
BRUNO ARAÚJO
PSDB - PE
SUPLENTE
A FAVOR
BRUNO COVAS
PSDB - SP
A FAVOR
CARLOS SAMPAIO
PSDB - SP
1º VICE-PRESIDENTE
A FAVOR
CHICO ALENCAR
PSOL - RJ
CONTRA
DANILO FORTE
PSB - CE
A FAVOR
ÉDIO LOPES
PR - RR
CONTRA
EDUARDO BOLSONARO
PSC - SP
A FAVOR
ELMAR NASCIMENTO
DEM - BA
A FAVOR
EROS BIONDINI
PROS - MG
A FAVOR
EVAIR DE MELO
PV - ES
A FAVOR
FERNANDO BEZERRA COELHO FILHO
PSB - PE
3º VICE-PRESIDENTE
A FAVOR
FERNANDO FRANCISCHINI
SD - PR
A FAVOR
FLAVIO NOGUEIRA
PDT - PI
CONTRA
HENRIQUE FONTANA
PT - RS
CONTRA
JANDIRA FEGHALI
PCDOB - RJ
CONTRA
JERÔNIMO GOERGEN
PP - RS
A FAVOR
JHONATAN DE JESUS
PRB - RR
A FAVOR
JOÃO MARCELO SOUZA
PMDB - MA
CONTRA
JOSÉ MENTOR
PT - SP
CONTRA
JOSÉ ROCHA
PR - BA
CONTRA
JOVAIR ARANTES
PTB - GO
RELATOR
A FAVOR
JÚLIO LOPES
PP - RJ
A FAVOR
JÚNIOR MARRECA
PEN - MA
CONTRA
JUTAHY JUNIOR
PSDB - BA
A FAVOR
LAUDÍVIO CARVALHO
SD - MG
SUPLENTE
A FAVOR
LEONARDO PICCIANI
PMDB - RJ
CONTRA
LEONARDO QUINTÃO
PMDB - MG
A FAVOR
LÚCIO VIEIRA LIMA
PMDB - BA
A FAVOR
LUIZ CARLOS BUSATO
PTB - RS
A FAVOR
MARCELO ARO
PHS - MG
A FAVOR
MARCELO SQUASSONI
PRB - SP
A FAVOR
MARCO FELICIANO
PSC - SP
A FAVOR
MARCOS MONTES
PSD - MG
A FAVOR
MAURO MARIANI
PMDB - SC
A FAVOR
MENDONÇA FILHO
DEM - PE
A FAVOR
NILSON LEITÃO
PSDB - MT
A FAVOR
ORLANDO SILVA
PCDOB - SP
SUPLENTE
CONTRA
OSMAR TERRA
PMDB - RS
A FAVOR
PAULINHO DA FORÇA
SD - SP
A FAVOR
PAULO ABI-ACKEL
PSDB - MG
A FAVOR
PAULO MAGALHÃES
PSD - BA
CONTRA
PAULO MALUF
PP - SP
A FAVOR
PAULO TEIXEIRA
PT - SP
CONTRA
PEPE VARGAS
PT - RS
CONTRA
ROBERTO BRITTO
PP - BA
CONTRA
RODRIGO MAIA
DEM - RJ
A FAVOR
ROGÉRIO ROSSO
PSD - DF
PRESIDENTE
A FAVOR
RONALDO FONSECA
PROS - DF
A FAVOR
SHÉRIDAN
PSDB - RR
A FAVOR
SILVIO COSTA
PTDOB - PE
CONTRA
TADEU ALENCAR
PSB - PE
A FAVOR
VALTENIR PEREIRA
PMDB - MT
CONTRA
VICENTE CÂNDIDO
PT - SP
CONTRA
VICENTINHO JÚNIOR
PR - TO
CONTRA
WADIH DAMOUS
PT - RJ
CONTRA
WELITON PRADO
PMB - MG
A FAVOR
WEVERTON ROCHA
PDT - MA
CONTRA
ZÉ GERALDO
PT - PA
CONTRA