quarta-feira, 12 de novembro de 2014

FINAL FELIZ PARA PROFESSORES E SOCIEDADE EM SALOÁ.

A 1ª greve da história da pequena cidade de Saloá, interior de Pernambuco (263km do Recife) está com seus dias contados e poderá ter seu final anunciado nos próximos dias, com final feliz para os PROFESSORES que deflagraram a GREVE e encamparam a maior luta trabalhista do município.

No último dia 04 de Novembro do corrente ano, os profissionais da educação básica do município de Saloá, depois de várias assembleias e tentativas frustradas de negociação com a prefeitura de Saloá, deflagraram a greve. Na pauta de negociação o reajuste de 8,32% que o Governo Federal anunciou em Janeiro de 2014 e que até aquela data os profissionais não tinham recebido. Após a deflagração da greve iniciou-se um verdadeiro massacre midiático contra os profissionais e a cada momento novas versões eram divulgadas através dos vários veículos de comunicação que a prefeitura em questão tinha domínio.

Em certo momento antes da greve, o prefeito do município o Sr.  Ricardo Alves (PMDB) anunciou que pagaria o reajuste e retroativo aos professores. Vários termos foram utilizados para amedrontarem a classe que não desanimou e seguiu adiante em busca dos seus direitos. Divulgou-se que o reajuste já estaria sendo pago, que a greve era ilegal, que o sindicato (SIMDUPROM-PE) não teria legalidade, enfim...

Nesta quarta (12) foi realizada uma Audiência de Conciliação, no Fórum da cidade. Estavam presentes na Audiência Ministerial o Dr. Alexandre Augusto Bezerra, promotor de justiça; o Dr. Luciclaudio Góes de Oliveira Silva, procurador municipal; o Sr. Osvaldo Ronaldo, presidente da câmara de vereadores de Saloá; a Srª. Maria Aparecida, vice-presidente do SIMDUPROM-PE; o Dr. Adilson Antonio de Lira, Advogado, além dos professores que faziam parte da greve. A finalidade do promotor de justiça, Dr. Alexandre Bezerra era mediar o conflito entre professores da rede municipal de ensino e a administração pública municipal.

Ficou decidido (acordado) entre outras coisas, que:
·      
   O governo municipal (através de seu procurador) informe até a próxima sexta-feira (14) se a prefeitura poderá atender à reivindicação de 8,32% dos profissionais;

   O PCC será enviado para a câmara municipal até 30 de Novembro, tratando inclusive do difícil acesso;

   Revisão do salário dos professores que tiveram redução de carga horária e salário (a partir de requerimento individual);

   Concurso público será realizado em Janeiro de 2015 (substituindo assim profissionais contratados por concursados);

     
  O presidente da câmara também se comprometeu a solicitar em caráter de urgência a apreciação e votação do PCC.

O Promotor de Justiça, Dr. Alexandre Bezerra, garantiu que irá propor ação judicial para contestar a incorporação de gratificações na formação do piso salarial dos professores, já que esse foi um dos itens que o procurador do município, o Sr. Luciclaúdio disse que não haveria negociação.
Ao que parece, tudo leva a crer que a greve terá fim. Com final feliz para os professores e toda sociedade da pequena cidade de Saloá-PE.

Créditos matéria: Wellington Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário