domingo, 9 de novembro de 2014

1º dia do Enem teve questões diretas e contextualizadas

Professores de cursos pré-vestibulares consideraram as provas do primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) bem distribuídas, bem contextualizadas e com enunciados menos curtos do que em edições passadas. Após as provas, o G1 recebeu, nos estúdios do Rio de Janeiro e Pernambuco, os professores Rodrigo Magalhães (geografia) e Vinicius Silveira (física), do Curso de A a Z, no Rio, e Lula Couto (história), Fernando Beltrão (biologia) e Gilton Lyra (química), do Projeto Educação da Globo Nordeste, no Recife, que comentaram as questões.
prova do primeiro dia teve questões com o livro "O Pequeno Príncipe", tirinha do personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, e parte da obra "Escola de Atenas", do artista Rafael Sanzio (1483 – 1520).

Magalhães, do Rio, elogiou a objetividade das questões. "Tivemos prova com questões mais diretas e mais simples, com textos menores. É aquela prova em que você não é cobrado pela quantidade de informações."

O professor de química Gilton Lyra, do Projeto Educação, classificou a prova da disciplina neste sábado um "misto de Enem e Fuvest", citando o vestibular da Universidade de São Paulo (USP). "Foi uma evolução para o modelo da Fuvest, um misto de Enem com Fuvest. Foi melhor que o ano passado, teve temas transversais com física e biologia, mas exigiu do aluno debruçar um pouquinho melhor sobre a matéria. Isso é ótimo, priveligiando o aluno", comentou ele.
Para Lula Couto, também do Projeto Educação, a prova de história foi bem distribuída, com questões bem contextualizadas. "O aluno que se preparou para romper com o padrão da decoreba se saiu bem", disse. Para ele, fizeram falta questões sobre o Brasil Colônia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário