terça-feira, 15 de julho de 2014

Plano de governo de Armando defende avanço sustentável

O candidato a governador pela coligação Pernambuco Vai mais Longe Armando Monteiro (PTB) garante que a educação será tema prioritário de sua gestão. Ao lado do vice, Paulo Rubem (PDT), que tem militância histórica nesta área, Armando quer implementar em seu governo um "padrão pernambucano de educação".

Armando destaca que esta é a principal proposta do plano de governo que ele tem apresentado à sociedade pernambucana. O plano foi formatado a partir das mais de 5 mil sugestões colhidas ao longo das plenárias do projeto Pernambuco 14, que percorreu todas as regiões de Pernambuco para ouvir as demandas da população. O projeto reuniu mais de 26 mil pessoas em 14 plenárias.

“O Plano de Governo está aberto ao debate, à avaliação e às contribuições críticas de todos os cidadãos, para aprimorar suas proposições e, de forma realista, contribuir para direcionar nosso processo de desenvolvimento nos próximos anos”, afirma o texto. Uma das características do documento são as propostas dinâmicas e uniformes em seu conteúdo ao longo de 21 páginas.

Para Armando, a educação de qualidade, que permita a população continuar crescendo com o apoio do governo federal e um desenvolvimento equilibrado é um compromisso. “Educação é a prioridade das prioridades”, sublinha. Investimentos em infraestrutura, saúde e segurança também são tratados de maneira diferenciada, trilhando paralelamente à criação de um ambiente de negócios que possibilite o estabelecimento de um desenvolvimento que alcance diretamente a qualidade de vida das pessoas.

A seguir as principais propostas feitas pela coligação liderada por Armando Monteiro, que tem ainda os deputados federais Paulo Rubem Santiago (PDT) e João Paulo (PT) como candidatos a vice-governador e senador, respectivamente:

EDUCAÇÃO - “Desenvolvimento e cidadania pressupõem assumir com determinação o inegociável desafio de promover em Pernambuco uma verdadeira revolução na educação”, diz o texto.  Armando pretende criar uma ação integrada entre escolas, comunidade e governos municipais, estadual e federal para a implantação de um programa de qualidade no ensino e aprendizagem em todos os recantos de Pernambuco.

Dentre as propostas, a valorização e qualificação dos professores, melhoria, fortalecimento e adequação do ensino técnico em integração com o ensino médio (com a expansão da rede de escolas técnicas), adaptação da matriz curricular às peculiaridades de cada região, ampliação da rede de escolas de referência, além de reforçar o papel da Universidade de Pernambuco (UPE) nas cidades-polo por todo o Estado, em alinhamento à política de interiorização do desenvolvimento, um dos pontos mais defendidos por Armando durante as plenárias do projeto Pernambuco 14.

SAÚDE - No quesito saúde, o foco será na prevenção e no reforço do atendimento médico, hospitalar e no fornecimento de medicamentos. “Tratar da saúde significa também cuidar de forma integrada de temas essenciais como saneamento ambiental, abastecimento de água, esgotamento sanitário, enfrentamento ao número crescente de acidentes de moto e combate às drogas, como o crack”, elenca o documento.

A atenção básica será fortalecida, articulada com a parceria com o governo federal, por intermédios de programas como o Mais Médicos. A interiorização da residência médica e a oferta de cursos de medicina e de pós-graduação nos polos regionais também é encarada como prioridade, além da ampliação do número de leitos, das ações do Programa de Saúde da Família, aprimoramento da gestão da saúde e qualificação dos hospitais regionais.

SEGURANÇA – Apesar da redução no número de homicídios, recrudesce em todo o Estado a sensação de insegurança, devido ao aumento de crimes contra o patrimônio, como roubos, assaltos e sequestros. Para isso, o Pacto pela Vida – “Uma conquista a ser preservada, ampliada e fortalecida”, nas palavras de Armando Monteiro ­– deverá se tornar uma política de Estado e não “apenas um projeto de governo”.

Armando pretende investir em “tecnologia e inovação, na capacitação profissional e na adequação dos serviços e estruturas de segurança às demandas da sociedade, como é o caso, por exemplo, do combate aos crimes praticados no meio digital e informática”. A ampliação do efetivo policial, tanto na Polícia Civil quanto na Militar, é um compromisso firmado o documento, dando melhores condições de trabalho e de crescimento profissional aos policiais.

A política carcerária também receberá atenção especial, no sentido de tirar Pernambuco das manchetes negativas relacionadas às unidades prisionais do Estado. “Urge cuidar de uma política de humanização de cadeias e presídios”, destaca o plano de governo.

CULTURA – Para Armando Monteiro, “a promoção e a valorização da cultura são vitais para que Pernambuco vá mais longe nas políticas públicas de educação, saúde e segurança, para ampliar os níveis de qualidade de vida e fortalecer a cidadania”.

O financiamento da produção cultural é um aspecto importante e recebe tratamento diferenciado no plano de governo da coligação Pernambuco Vai Mais Longe. “É compromisso promover o diálogo e a articulação para avaliar o sistema estadual de cultura. O objetivo é fortalecer o planejamento e estimular a profissionalização do sistema, criar mecanismos para valorizar as variadas formas de expressão cultural”, destaca o texto, que também salienta a preocupação em alavancar a economia criativa.

MOBILIDADE – “A questão da mobilidade urbana é atualmente um dos temas mais importantes a serem tratados pelos governos”, reconhece Armando Monteiro. “Tem reflexo na qualidade de vida das pessoas, sobretudos usuários do sistema de transporte coletiva e impacta fortemente a produtividade do trabalho, sobretudo no Recife e na Região Metropolitana.”

Armando ainda enfatiza que o transporte coletivo deverá receber atenção prioritária, na formulação de um plano de obras de infraestrutura, de intervenções urbanas integradas e adequações em todo o complexo sistema, incluindo os diversos modais de transporte público.

ECONOMIA – A interiorização do desenvolvimento será, como Armando Monteiro, Paulo Rubem e João Paulo vêm afirmando nos discursos, um braço poderoso do processo de avanço de Pernambuco. “É importante promover a desconcentração da atividade produtiva”, resume o documento da coligação Pernambuco Vai Mais Longe.

“É prioridade ampliar e qualificar a infraestrutura de energia, recursos hídricos, transportes e comunicação, contemplando as necessidades e demandas regionais com atenção prioritária para os municípios e regiões produtoras”, destaca o candidato a governador. “A partir daí, é possível criar condições mais favoráveis e ir além, para estabelecer um ambiente de negócios com menor burocracia, uma política de impostos estimulante e realista e com uma melhor articulação envolvendo tanto o governo do Estado como as universidades, os institutos de pesquisa, de ciência e tecnologia, os organismos de representação da iniciativa privada, as prefeituras e o governo federal.”

A atenção e o apoio às micro e pequenas empresas são propostas do plano de governo de Armando e têm lugar garantido na lista de pontos essenciais. “É preciso um tratamento diferenciado, que deverá focar na redefinição dos mecanismos que aliviem os efeitos da atual política de substituição tributária”, afirma o Armando. O incentivo ao empreendedorismo e à economia criativa também terá atenção especial.

A modernização da gestão, com um novo modelo de administração pública, ganha ares de aspecto essencial no plano de governo de Armando. “Esse modelo se baseia na modernização e eficiência dos processos de gestão, na melhoria da qualidade do planejamento, formulação e execução das ações e políticas públicas com soluções inovadoras e racionalidade”, aponta o documento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário