quinta-feira, 4 de julho de 2013

Governo e base descartam que reforma política se aplique em 2014

saloáApós reunião com líderes da base aliada na Câmara, o vice-presidente da República, Michel Temer, anunciou nesta quinta-feira (4) que a reforma política não valerá para as eleições  2014. Para que as regras fossem aplicadas em 2014, o plebiscito popular sobre a reforma e o projeto que altera as regras políticas e eleitorais teriam que ser concluídos até o dia 5 de outubro, prazo considerado inviável pela maioria dos partidos políticos da Câmara.Não há mais condições de fazer qualquer consulta antes de outubro e não havendo condições temporais de fazer essa consulta, qualquer reforma que venha só se aplicará para as próximas eleições e não para esta”, disse Temer.
De acordo com o vice-presidente, a maioria da base aliada na Câmara defende fazer o plebiscito no segundo turno das eleições de 2014. 
“Devo registrar que a maioria daqueles que discutiram aqui estão optando pelo plebiscito junto com as eleições de 2014, no segundo turno das eleições do ano que vem. Mas não há nenhuma dúvida em relação à tese da consulta popular.”Presente à reunião, que ocorreu na residência oficial do vice-presidente da República, o líder do PTB, deputado Jovair Arantes, afirmou que a decisão foi "sábia" e "importante".
"Foi inviabilizado pelo tempo jurídico. Não podemos fazer a reforma açodadamente porque corremos o risco de fazer um monstrengo", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário