sexta-feira, 28 de junho de 2013

Prefeito Izaías Régis recebe organizadores de manifesto popular em Garanhuns


Na tarde desta quarta-feira (26), um grupo de estudantes que liderou o manifesto popular em Garanhuns no último dia 20, se reuniu com o prefeito Izaías Régis . A reunião foi marcada ainda antes da manifestação, a intenção era discutir junto ao executivo algumas reivindicações levantadas durante a manifestação. Participaram do momento, os secretários de Governo, Comunicação Social, o Procurador do Município e a Coordenadora da Vigilância Sanitária.

O prefeito abriu o encontro relembrando aos estudantes que a campanha que o levou ao Palácio Celso Galvão foi discutida nas ruas, o que ajudou a montar o Plano de Governo discutido por moradores de todos os bairros e distritos do município. “Nosso programa de governo foi discutido junto à sociedade de Garanhuns e é este plano que vem norteando nossas ações,” reforçou o prefeito.

saloáOs estudantes abriram a pauta com reivindicações de saúde. Entre os assuntos, os pedidos de melhora na atenção básica de saúde (com atendimento no fim de semana - para desafogar o Hospital Dom Moura), bem como na saúde especializada. O prefeito relembrou que cinco novas unidades de PSF´s estão sendo construídas e mais sete ampliadas e que com a construção da UPA 24 horas, o serviço de atenção básica será estendido aos fins de semana.

Meio ambiente foi outro assunto discutido pelos estudantes. “Nós temos uma grande preocupação, que é dividida por grande parte da população sobre os cuidados com o meio ambiente em Garanhuns. Aqui temos fontes de água que vêm sendo contaminadas e queremos saber quais as diretrizes deste governo sobre este e outros temas relacionados”, expressou preocupado um dos representantes do movimento. O prefeito Izaías Régis disse que o tema também é uma das preocupações da gestão atual e que a proposta da criação da Secretaria de Meio Ambiente será concretizada. “A criação de uma Secretaria de Meio Ambiente é um dos nossos compromissos. Ainda este ano haverá o desmembramento da Secretaria de Agricultura, e no próximo ano a Secretaria de Meio Ambiente atuará com o orçamento próprio,” explicou o prefeito. 

Dois temas que não poderiam estar fora da pauta dos estudantes foram o Código de Vigilância Sanitária e a CIP – Contribuição de Iluminação Pública. Sobre o Código Sanitário, a coordenadora da Vigilância Sanitária do município Dra. Katarina Almeida explicou aos estudantes a urgência que ele seja instituído. “O que vimos é que todos se ativeram a instituição de uma taxa. Queremos explicar que não há instituição de uma nova taxa e sim a transferência, com a descentralização de ações entre Estado e Município. O que antes era pago a APEVISA (Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária) será transferido para o município. Nos deparamos diariamente com locais que não deveriam funcionar por não ter a mínima condição de higiene. Com os recursos que agora serão destinados ao município nós agora teremos como investir em pessoal, panfletagem, material diário, equipamentos de proteção individual (EPI), bem como em transporte. Agimos na prevenção à saúde do consumidor”, explicou a Coordenadora.

Sobre a CIP, o próprio prefeito explicou a mudança na lei, que trouxe percentuais menores aos estipulados na lei original, aprovada em 2002, por unanimidade na Câmara de Vereadores. Ressaltando que o Projeto de Lei veio regular uma defasagem de mais de 11 (onze) anos do valor estabelecido para a CIP, sem qualquer correção ou reajustes, acarretando total desinteresse das gestões passadas na manutenção e modernização da iluminação pública no município. O gestor também argumentou que o custo com a manutenção da iluminação pública vai aumentar a partir do próximo ano, em que os custos serão do município.

“Embora tenhamos ainda algumas discordâncias sobre alguns assuntos. Agradecemos o ato do prefeito em nos receber e ouvir nossas reivindicações. O nosso movimento vai continuar e esperamos poder contribuir com avanços para o município. As cobranças virão, mas queremos sempre ter a possibilidade do diálogo para discuti-las,” externou um dos representantes do movimento. 

Texto: Jacqueline Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário