quarta-feira, 1 de maio de 2013

"Quem viver verá", afirma Eduardo Campos sobre seu projeto para o país


Depois de "é possível fazer mais", o governador Eduardo Campos (PSB), saiu-se com mais uma frase de efeito ao falar se seus planos para o futuro. Ao ser questionado sobre o que fará mais pelo Brasil, o socialista respondeu, entre risos: "Quem viver verá". Potencial candidato à Presidência da República, Eduardo passou o 1º de maio em uma agenda com movimentos sociais. 

Pela manhã, esteve no assentamento Normandia, em Caruaru, do MST. O local é emblemático na luta dos trabalhadores sem-terra no estado. O governador defendeu a realização de uma reforma agrária no país. "Fazer reforma agrária não é só distribuir terra, pois para produzir é necessário garantir o acesso às políticas públicas", afirmou, detalhando os investimentos feitos no assentamento. "Temos uma Casa da Juventude, uma versão da Academia da Cidade e diversas ações que minimizam os efeitos da estiagem", enumerou.

Após Caruaru, Eduardo Campos viajou ao município de Pesqueira, onde visitou as obras da barragem da comunidade indígena de Xucuru e de universalização de cisternas numa comunidade quilombola. 

O governador tinha vários convites para festas do 1º de Maio, inclusive da Força Sindical, em São Paulo, mas preferiu fazer um périplo pelo interior de Pernambuco, do qual só retorna na sexta-feira (3) à noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário