quinta-feira, 30 de maio de 2013

PSD pode ser destino de Bezerra Coelho

Nem PT, nem PMDB. O PSD pode mesmo ser o destino do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, cotado para disputar o governo do estado, caso ele decida deixar o PSB. A informação é de um interlocutor com bom trânsito entre o ex-presidente Lula (PT) e o governador Eduardo Campos (PSB). A avaliação feita é de que o PMDB, também cogitado como destino, não faria intervenções para rifar as pretensões eleitorais do senador Jarbas Vasconcelos ou do prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio. Haveria dificuldades também para a filiação ao PT, devido à divisão interna na legenda.
As especulações sobre a saída do ministro do PSB cresceram recentemente, por causa das declarações dele de que sua posição pessoal é de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), que tentará a reeleição no próximo ano. Um aliado de Bezerra explicou que a posição dele foi apresentada a Eduardo Campos durante agenda recente em Garanhuns, quando o ministro teria pedido ao gestor socialista que reavaliasse a sua disposição de concorrer à presidência.
Os aliados de Eduardo dizem não enxergar rompimento nas declarações de Bezerra, uma vez que ele é ministro de Dilma Rousseff e, por isso, não poderia se posicionar contra a presidente enquanto o partido permanecer na base aliada. Já sob a ótica dos petistas, descontentes com as críticas de Eduardo à presidente, a aposta no ministro da Integração viabilizaria um palanque extra para Dilma no estado, já que as lideranças do PT saíram muito desgastadas do último pleito, quando a legenda perdeu o comando da Prefeitura do Recife.
Procurado pelo Diario, o presidente estadual do PSD, André de Paula, não descartou a possibilidade de receber o ministro em seus quadros, apesar de assegurar que a sua preferência é seguir a orientação de Eduardo Campos e permanecer em seu palanque. Polido como sempre, André frisou ser cedo para “qualquer especulação” e garantiu não ter conversado com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, sobre o assunto. “A princípio, nosso objetivo, todo mundo sabe, é estar com Eduardo”, afirmou. Ele não se prolongou na avaliação do cenário político, mas a possibilidade de filiação de Bezerra Coelho ao PSD ficou mais forte desde que Kassab esteve em Pernambuco, conversou com Eduardo Campos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário