sexta-feira, 19 de abril de 2013

Ex-diretora do Dom Moura, presa em operação do MPPE, está foragida


  A ex-diretora do Hospital Regional Dom Moura, Maria Emília Pessoa, é considerada foragida da Justiça pernambucana. A dentista havia sido presa, no último dia 9, suspeita de participar de um esquema que desviou mais de R$ 260 mil da unidade de saúde, no Agreste do Estado. No entanto, ela foi beneficiada por um alvará de soltura concedido, no dia 13, pelo desembargador Fausto Campos. Nesta quinta-feira (18), após pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva dos suspeitos, mas Maria Emília não foi encontrada. Policiais de Garanhuns e de delegacias vizinhas realizam diligências para tentar recapturá-la.
Além da ex-diretora do hospital, também foram presos no dia 9, durante a Operação Pronto Socorro, deflagrada no Dia Nacional contra a Corrupção, o ex-porteiro da unidade Marcone Souto Araújo, o ex-auxiliar administrativo Lúcio Ferreira Duarte Neto e a servidora do departamento financeiro, Maria Veridiana da Costa Vieira. Eles permaneceram atrás das grades porque por tiveram a prisão temporária prorrogada pelo Tribunal de Justiça.
Já a servidora Maria José Neves da Silva, que não havia sido presa temporariamente com os quatro primeiros suspeitos no dia 9, só foi detida nesta quinta-feira (18) em função do mandado de prisão preventiva expedido pela juíza da Comarca de Garanhuns, Pollyana Cotrin. Maria José e Maria Veridiana foram encaminhadas à Colônia Penal de Buíque, no Sertão, enquanto Marcone e Lúcio continuam recolhidos à cadeia pública de Garanhuns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário